17 de fevereiro de 2009

Mafalda Arnauth : O mar fala de ti [Flor de Fado, 2008]

Eu nasci nalgum lugar
Donde se avista o mar
Tecendo o horizonte
E ouvindo o mar gemer
Nasci como a água a correr
Da fonte

E eu vivi noutro lugar
Onde se escuta o mar
Batendo contra o cais
Mas vivi, não sei porquê
Como um barco à mercê
Dos temporais.

Eu sei que o mar não me escolheu
Eu sei que o mar fala de ti
Mas ele sabe que fui eu
Que te levei ao mar quando te vi
Eu sei que o mar não me escolheu
Eu sei que o mar fala de ti
Mas ele sabe que fui eu
Quem dele se perdeu
Assim que te perdi.

Vou morrer nalgum lugar
De onde possa avistar
A onda que me tente
A morrer livre e sem pressa
Como um rio que regressa
À nascente.

Talvez ali seja o lugar
Onde eu possa afirmar
Que me fiz mais humano
Quando, por perder o pé,
Senti que a alma é
Um oceano.

Tiago Torres da Silva/ Ernesto Leite

1 comentário:

Cátia Andrade disse...

A Mafalda Arnauth é uma das fadistas da nova geração que mais me enche as medidas. É, por isso, com particular prazer que vejo vídeos como esse – ou que leio, como acabo de fazer, que ela já se prepara para rumar a Paris, onde tem agendados dois concertos. Mas isto é apenas a pontinha do icebergue porque haverá também uma extensa campanha de promoção nos media franceses, além de se estarem a ultimar os preparativos para uma digressão mais completa no país, lá mais para o Outono. Os pormenores estão todos aqui:
http://cotonete.clix.pt/quiosque/noticias/body.aspx?id=42375