23 de dezembro de 2010

[Partituras] Ao Menino Deus


in Cancioneiro de Músicas Populares César das Neves

22 de dezembro de 2010

Katia Guerreiro edita CD com duetos inéditos

A fadista Katia Guerreiro, para celebrar os dez anos de carreira, edita o duplo CD “Nas asas do fado” em que reúne os temas mais emblemáticos, os que menos canta nos espectáculos e inéditos.

“Escolhi para este ‘Best of’ os temas mais emblemáticos da minha carreira, como ‘Segredos’ ou ‘Amor de mel, amor de fel’ e alguns que canto menos nos meus espetáculos como ‘Algemas’”, disse a fadista.

Estes e outros temas, como “Ponham flores na mesa”, “Pranto de amor ausente”, “Asas”, ou “Lisboa à noite”, estão reunidos num CD.

No segundo CD, Katia escolheu duetos que fez ao longo da carreira, nomeadamente com Ney Matogrosso, Santos & Pecadores e Martinho da Vila.

“Estes duetos são encontros musicais que fizeram parte do enriquecimento musical, artístico e até humano que fui adquirindo”, afirmou.

O CD inclui três duetos inéditos, gravados propositadamente para este álbum duplo, nomeadamente com Rui Veloso, Amina Alaoui e Simone de Oliveira.

Com Simone, Katia interpreta o único tema original, “Amor sem tamanho” (Pedro Rapoula/ Pedro Pinhal).

fonte ~ Diário Digital / Lusa

"Canções de Cordel" na voz de César Prata

OuTonalidades regressa em 2011

A comitiva da d’Orfeu em Santo Estêvão, no Algarve, ponto mais a sul do 14º OuTonalidades.

Em Santo Estêvão (Tavira), ponto mais a sul de todo o circuito, foi um espectáculo da associação organizadora, “Toques do Caramulo”, que encerrou a 14ª edição do "OuTonalidades - circuito português de música ao vivo". O evento começou a 22 de Setembro na Corunha e apresentou uma impressionante agenda de música ao vivo até 18 de Dezembro, num roteiro que se estendeu da Galiza ao Algarve.

Neste último fim-de-semana, além da Casa do Povo de Santo Estêvão, espaço onde o circuito pegou de estaca nas últimas edições, o OuTonalidades teve concertos em Lisboa (Toques do Caramulo, na véspera de descer ao Algarve) e em Tondela e no Fundão (com o projecto do guitarrista Marcos Teira, um dos vários grupos galegos desta edição). O poder de intervenção cultural deste circuito assume uma importância cultural decisiva em muitos destes locais e cria importantes oportunidades de circulação para os grupos envolvidos.

O êxito do OuTonalidades vem resultando, incontornavelmente, do inédito intercâmbio luso-galaico resultante da parceria do circuito português com a Rede Galega de Música ao Vivo, criando-se um roteiro único de espaços e grupos portugueses e galegos. Foram muitas as noites memoráveis desta edição, foram muitos os quilómetros percorridos pelos grupos, e foram muitas as centenas de espectadores deste grande palco chamado OuTonalidades, à 14ª edição.

Os Municípios de Águeda, Estarreja, Ovar e Tavira apoiaram oficialmente o 14º OuTonalidades, além do Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes e de vários outros organismos. Na Galiza, a AGADIC e a Clubtura são os parceiros oficiais do OuTonalidades. O circuito foi coordenado, como desde sempre e a partir de Águeda, pela d’Orfeu Associação Cultural.

Muito em breve, durante o primeiro trimestre de 2011, abrirá o período de inscrições de grupos para a 15ª edição.

Propostas de Programação para o Andanças 2011

Encontram-se abertas as inscrições para propostas de programação para o Festival Andanças 2011. Propostas de oficinas de danças, bailes, actividades paralelas, actividades para crianças. Até dia 31 de Janeiro.

Formulário de candidatura

15 de dezembro de 2010

Pé na terra : Escadas de Luar [13, 2010]

"Viva a república, Viva" novo CD de Vitorino

Já disponível em exclusivo nas lojas FNAC, "Viva a República Viva", o novo CD de Vitorino conta com a participação especial de Sam the Kid, Filipa Pais, Janita.

Vitorino Salomé pretende, com este album, comemorar a implantação da República, a consagração de "A Portuguesa" como símbolo nacional, a partir de 19 de Junho de 1911, e a Constituição Portuguesa de 1911.

Particularmente grato aos ideais anarco-sindicalistas que estiveram na base do movimento que na tarde de 4 de Outubro de 1910, em Setúbal e em quase toda a Margem Sul, deu início à implantação da República, Vitorino reúne neste CD seis temas, na sua maioria compostos propositadamente para este efeito.

Somando a sua vivência e experiência adquiridas Vitorino procura entender o passado recente que, através dos seus avós e tios, começa com o século XX.

Deste modo Vitorino faz aquilo que pode ser uma banda sonora da sua vida e recria as ambiências, do que pode ter sido a música popular que andava no ar, no princípio do século XX, tarefa facilitada pela grande quantidade de material disponível em arquivos, livros, discos e informação fornecida por amigos.